Dúvida em probabilidade

Em Minas Gerais, as autoridades locais e a do país estão em alerta por conta dos casos suspeitos de febre amarela. Especialistas temem que a doença, ainda restrita às zonas rurais, chegue às áreas urbanas, onde teria maior potencial de disseminação. Uma pessoa precisa realizar uma viagem inesperada para duas cidades mineiras, A e B, não conseguindo tomar a vacina. Após algumas pesquisas, essa pessoa percebeu que a probabilidade de se contrair febre amarela na cidade A é de 60% e a probabilidade de não se contrair febre amarela na cidade B é de 20%. Sabe-se que esses eventos são independentes. Considerando-se apenas essas duas viagens, qual a probabilidade de a pessoa contrair febre amarela?

A) 1,4
B)0,92
C)0,8
D)0,68
E)0,48
Gabarito: B

Eu fiz assim: 60/100.80/100=48/100. Marquei letra E. Não consigo enxergar outra resolução. Poderiam me ajudar, por favor?

Essa é a resolução que eu achei na internet

Agora como eu pensei para resolver essa questão…

A pessoa vai fazer duas viagens, as opções nas quais ele contrai febre amarela são:

Probabilidade de contrair = contrai em A e não contrai em B ou contrai em B e não contrai em A ou contrai em A e B

Em probabilidade:
"ou" é igual a soma
"e" é igual ao produto

Então traduzindo matematicamente:
P = (60/100) . (20/100) + (40/100) . (80/100) + (60/100) . (80/100)
P = 1200/10000 + 3200/10000 + 4800/10000
P = 9200/1000 = 92/100
P = 0,92

Aqui você fez apenas a probabilidade da pessoa contrair nas duas cidades (contrai em A e em B). Faltou a probabilidade de apenas em A e apenas em B.

Qualquer dúvida só falar

3 Curtidas

Muito obrigada!! Consegui entender!

2 Curtidas

Oi, Victoria!

O @Joaoafs te respondeu com maestria! Eu só gostaria de acrescentar -pra te prevenir de erros na prova de ciências da natureza- que o principio dessa questão, de que um indivíduo poderia ser infectado tanto em A quanto em B, parte de um erro conceitual no tangente à biologia. Isso por causa dos princípios básicos de imunologia mesmo. Se precisar de umas dicas em relação a isso, pode contar comigo!

Valeu, beijão :slight_smile:

3 Curtidas

Oi, Rafaela!! Boa tarde!! Obrigada pela resposta!! Aceito sim as dicas!! :smiley: :smiling_face_with_three_hearts:

1 Curtida

Opsss, perdoa a demora. Acabei esquecendo…

A imunidade se divide em dois grandes grupos, a inata -que independe do contato com o corpo estranho- e a adquirida -a que irei abordar aqui.

A imunidade adquirida é, em termos de defesa, muito mais interessante e eficiente porque se baseia na resposta específica ao antígeno e no desenvolvimento de memória imunológica. Ela pode ser artificial -por meio de vacina- ou natural -por meio do contato “real” com o antígeno. Ambas funcionam do mesmo jeito: os antígenos são apresentados ao nosso sistema imune induzindo a produção de anticorpos específicos pelos linfócitos B e também das células de memória. É por causa dessas células de memória que eu disse que a questão tinha um erro conceitual ao considerar que o indivíduo poderia se contaminar com a febre amarela tanto na cidade A quanto na cidade B, porque uma vez pegando em uma das cidades ou ele desenvolveria imunidade -portanto não pegaria de novo na outra- ou morreria.

Se ficou qualquer dúvida, é só jogar por aqui depois, tá bão? Adoro ficar de tititi sobre biologia.

Beijuuu :slight_smile:

3 Curtidas

Não tem problema não, que isso! Obrigada pela atenção!!

1 Curtida