Memorizar esquleto de uma redação

Vendo um vídeo de um Youtuber sobre Redação voltado a qualquer vestibular do país, inclusive o Enem, ele recomendou que se faça uma redação qualquer e depois contrate um corretor para apontar seus erros mais críticos e sugeriu memorizar a redação na integra, inclusive, com todos os conectivos, com todas as vírgulas. Foi assim que ele disse que passou em 3 faculdades públicas. Isso seria uma boa ideia?

3 Curtidas

Se a sua capacidade de memorização for muito boa e o corretor for muito bom, pode ser que dê certo, mas eu não recomendo que ninguém faça isso por 2 motivos simples.

Diferentes vestibulares possuem diferentes critérios de avaliação e modelo de redação, por exemplo, o Enem disponibiliza apenas 30 linhas minúsculas, cobra uma proposta de intervenção e apresenta temas mais pontuais, enquanto a fuvest te oferece um espaço amplo de 34 linhas, com temas mais atemporais e filosóficos, sem a necessidade concreta de uma solução.

A capacidade de construir bons textos e uma boa argumentação são coisas muito importantes na vida de uma pessoa, principalmente para quem segue o rumo acadêmico, e querendo ou não, quando se treina redações e entende com clareza como funciona e deve ser, tudo se torna muito mais fácil e intuitivo, incluindo as malditas segundas fases discursivas. AAHHAHAHAHA

2 Curtidas

OI Marcio,
Então, “memorizar o esqueleto” é positivo no que tange se adequar ao número proposto de linhas.
Eu por exemplo acabava por ultrapassar o número de linhas limite e ser um pouco prolixa em alguns argumentos cujo desenvolvimento não precisaria ser tão extenso.
Para um modelo de 30 linhas eu aconselho usar como base a seguinte estrutura EXCETO PARA O ENEM

Introdução;
Contextualização (mito, dado, constatação) : 1 período 2 linhas
Conexão entre a contextualização e o tema : 1 período 2 linhas
Tese: 1 periodo duas linhas

Parágrafo 1
Argumento de autoridade, histórico, dados ou quaisquer embasamento para agumentação: 1 período duas linhas
Conexão entre embasamento e tema (argumento seu): 1 período duas linhas
Conexão 2 (segundo argumento seu) OPCIONAL : 1 periodo duas linhas
Conclusão do parágrafo: 1 período duas linhas

Parágrafo 2 ------ repetir esquema do P1

Conclusão:

Retomada de tese 1 período em duas linhas
retomada de p1; 1 período em duas linhas
retomada de p2 ; 1 período em duas linhas
retomada da contextualização 1 periodo em duas linhas

totalizando: 30 linhas

claro que esse modelo pode ser flexibilizado. Caso julgue necessário acrescentar ou retirar linhas, é apenas necessário acertar em outro ponto do texto
LEMBRANDO QUE NUNCA SE DEVE FAZER UM PARAGRAFO DE PERIODO UNICO
espero ter ajudado
Nina

2 Curtidas

Concordo com o Vinícius! Quando você entende como uma redação funciona, como elaborar um projeto de texto (como a Carolina mostrou), tudo fica mais fácil. Tem uma entrevista da coordenadora da banca da FUVEST falando que o que eles menos querem é um texto “engessado”. Então não creio que esse seja o caminho para nenhum vestibular.

Às vezes pode cair um tema que você tem um repertório muito interessante e bem voltando ao recorte pedido. Você deixaria de usar pra colocar seu texto decorado com um repertório “universal”?

É algo para se pensar, né? hehe

3 Curtidas

Oi! Concordo com o que falaram acima, não é aconselhável seguir essa ideia. São poucas as chances de cair o mesmo tema, além de que os vestibulares regionais e o ENEM têm critérios de avaliação diferentes. A prova da UNICAMP, por exemplo, exige uma série de tarefas que devem ser cumpridas pelo candidato. No ENEM temos a competência V que avalia a proposta de intervenção, critério que não existe nos vestibulares regionais.

A melhor forma de escrever uma boa redação, por mais óbvio que seja, é treinar escrevendo redações. Para produzir bem qualquer gênero textual, como redação, resumo, resenha, etc., você tem que conhecer os seus interlocutores (a banca, no caso de concursos), a situação de interlocução (de avaliação e atribuição de nota, no caso) e as características específicas do gênero a ser produzido. Mesmo que você não treine a escrita de redações, saber o que cada vestibular (ou ENEM) avalia nos seus critérios, além de estudar as características gerais do texto dissertativo-argumentativo, é importante para ir bem na prova.

Qualquer dúvida, chama de novo! :raising_hand_woman:t2:

1 Curtida

O título é infeliz, talvez, seja Como adaptar a sua redação ao tema do Enem memorizada ou coisa parecida. Perdão,pessoal, não sei se posso colocar links externos aqui no fórum.

Não é só o título que é infeliz… ahhahahhah Não existe isso de memorizar uma redação com uma quantidade incrível de detalhes e reproduzi-la na hora, é o que já falamos aqui, vc pode (e deve) saber como deve ser a estrutura de um parágrafo, como usar conectivos e todas essas coisas, porém, cada prova tem suas peculiaridades e critérios, que variam desde o formato do texto até a sua construção. Se vc quer realmente se destacar nos vestibulares, recomendo que vc realmente estude como uma redação deve ser e aprenda a construir uma do começo ao fim, e como a @Prof_Jessica_Oleques, treine a escrita…

3 Curtidas

Márcio, tudo bem?
Vou te deixar a minha opinião de aluna (que não passou em nada e está na mesma situação que você).

Uma professora da minha cidade segue esse estilo: os alunos decoram uma introdução, uma conclusão e algumas partes do meio. O que ocorre é que ou ela tem redações 1000 (3 alunos ano passado) ou muitos zeram por fuga.

Sei que ele passou em 3 federais e talvez isso faça ele ter um certo ar de “autoridade”, porém não seria melhor você seguir conselhos de professores (como a @Prof_Jessica_Oleques) ?

Assim como tudo na vida, seguir isso pode dar certo ou não. Assim como alguém que treina o ano todo e pode ir mal da mesma forma. Cabe a você a decisão.

Mas algo que posso tentar te ajudar a refletir: saber todas as fórmulas de física te garante acertar todas as questões de física? Por que alguns vestibulares colocam o formulário?
Porque atualmente eles não querem alguém “decoreba”.

Enfim, acho que a @Prof_Jessica_Oleques, novamente, pode te ajudar nisso melhor do que nós. Escute com carinho o que ela tem a falar. Afinal, ela estuda, faz treinamentos, corrige redações… tudo para poder nos ajudar.

3 Curtidas

(Claro que pode postar links externos, sem problemas!)

Márcio, assisti a esse vídeo que você postou. Um ponto muito importante é que ele passou em 3 provas de mestrado, e não do ENEM. Ele não disse seu curso ou área, mas na minha área (Letras), por exemplo, uma seleção de mestrado nas universidades em geral solicita uma prova discursiva, o que se equivaleria a esse tipo de redação que ele teve que fazer. Mas a grande diferença nas seleções de mestrado é que temos uma bibliografia específica para essa prova discursiva. Ou seja, além de ter feito uma prova na área dele, ele tinha todo um escopo do que deveria abordar no texto que escreveria, diferentemente de uma prova como do ENEM, em que não se sabe o tema.

Duas das três dicas que ele dá são muito boas, na verdade: ler textos de provas anteriores considerados nota 1000 pela banca e conhecer os critérios de cada competência que a prova de redação exige. Isso eu recomendaria também até para estudantes que escrevem muito bem redações, pois são duas dicas preciosas e específicas para essa prova.

Agora, decorar uma redação inteirinha… Seria o mesmo que estudar para Matemática, mas decorando os resultados de questões e tentando adequá-los a cada novo enunciado da prova. É completamente nonsense essa dica desse sujeito, o YouTube tinha que banir esse vídeo, inclusive (hehe). Quem tem um bom conhecimento da norma culta, que só vai adquirir estudando e resolvendo questões, consegue escrever qualquer gênero textual sem nenhum desvio gramatical. Fora isso, conhecer a estrutura de uma prova de dissertação é essencial, isso é muito mais valioso do que decorar qualquer texto bom. Ou seja, estudar e conhecer o mínimo sobre o texto do tipo dissertativo-argumentativo é muito mais fácil do que decorar um texto genérico qualquer.

2 Curtidas

Como assim um parágrafo de período único ?