Questão enem segunda aplicação linguagens 2017


#1

A madrasta retalhava um tomate em fatias, assim
o arroz branco do outro lado do tomate, tamanha a sua
transparência. Com a saudade evaporando pelos olhos,
cortava o tomate vermelho, sanguíneo, maduro, como
se degolasse cada um de nós. Seis. O pai, amparado
pela prateleira da cozinha, com o suor desinfetando o
ar, tamanho o cheiro do álcool, reparava na fome dos
e, por certo, nos pensava devorados pelo vento ou
tempestade, segundo decretava a nova mulher. Todos os
dias — cotidianamente — havia tomate para o almoço.
Eles germinavam em todas as estações. Jabuticaba,
demandar adubo além do ciúme. Eu desconhecia se era
mais importante o tomate ou o ritual de cortá-lo. As fatias
delgadas escreviam um ódio e só aqueles que se sentem
intrusos ao amor podem tragar.
QUEIRÓS, B. C. Vermelho amargo. São Paulo: Cosac & Naify, 2011.

Ao recuperar a memória da infância, o narrador destaca
a importância do tomate nos almoços da família e a ação
da madrasta ao prepará-lo. A insistência nessa imagem é
um procedimento estético que evidencia a
A- saudade do menino em relação à sua mãe.
B- insegurança do pai diante da fome dos filhos
C- raiva da madrasta pela indiferença do marido.
D- resistência das crianças quanto ao carinho da
madrasta.
E- convivência conflituosa entre o menino e a esposa

O gabarito da questão é letra E, mas eu não entendi em que parte do texto isso fica evidente, parece que apenas o menino mostra a postura raivosa da madrasta


#2

Nesse trecho, fica claro que a imagem da madrasta cortando tomates é uma visão que expressa o desgosto dela pelos filhos do marido, o que caracteriza a relação conflituosa.


#3

O narrador buscou, ao recuperar a memória de sua infância, fazer uma analogia do processo do cozinhar de sua madrasta com sua relação conflituosa com a família. Isso é visto pela raiva disposta pelo cortar dos tomates da mulher.