Substituição de uma parte da redação


#1

Boa noite,
Glr, estive fazendo uma redação e me deparei com erro que não havia notado: o uso de " a mesma/ o mesmo…" para me referir a algo que já usei. Alguém poderia me dar algumas dicas de pelo que substituir esse trecho?

Desde já, agradeço.


#2

Fala, Pedro!

No começo eu também usava muito “o(a) mesmo(a)”, mas comecei achar feio, passou a soar estranho para mim. Os termos que mais uso hoje são “tal” e os pronomes “o, a, la, lo, se, e consigo”. Por exemplo:

  • Pelo exposto, infere-se que a falta de uma legislação rígida no meio digital abre espaço para a manipulação comportamental dos usuários de internet. Dessa forma, é preciso que o poder legislativo elabore propostas de leis mais consistentes, a fim de que tal problemática seja minimizado.

  • Pelo exposto, infere-se que a atual legislação responsável pelo meio digital é branda, possibilitando a manipulação comportamental dos usuários de internet. Dessa forma, é necessário que o poder legislativo a reforce, a fim de que o fenômeno seja contido.

Espero ter ajudado!


#3

Oi, Pedro, é o que o João falou mesmo!

vou deixar o que uma professora me falou sobre isso um dia que eu enviei uma redação com “os mesmos”

"Camila, busque um termo sinônimo para
“discurso de ódio” e evite o uso de “os mesmos”, “as
mesmas”. Embora seja correto, empobrece o seu texto. É
uma coesão fraca."

só complementando o que o João disse, porque achei interessante colocar a visão de um profissional da área :slight_smile:


#4

Muito obrigado pelas ótimas respostas, vocês têm me ajudado muito!

Então não é proibido o uso os mesmos, as mesmas?
Acabei que fiquei na dúvida agora, por causa do conteúdo desse link. (https://exame.abril.com.br/carreira/qual-o-erro-mais-comum-ao-usar-a-palavra-mesmo/)

A redação fica empobrecida com a repetição demasiada de “tal”?


#5

eu tenho uma redação minha que passou por correção ano passado aqui pelo Me Salva e por mais duas plataforma e nenhuma deu como erro. A única sinalização que tive foi dessa professora.

Com relação ao uso de “tal”: olha, eu espero que não, porque eu uso com um certa frequência e ninguém nunca me disse nada hahhaha

Eu já usei no enem e tirei 200 em coesão. Também já usei em redações que tirei 10, então não sei te dizer, mas eu não tive grandes problemas aparentemente. Talvez alguma banca mais criteriosa pode não gostar, não sei te dizer

Eu estou anotando algumas dúvidas para ver se tiro com uma corretora da banca Vunesp e do ENEM. Como eu vou pagar para tirar essas dúvidas, eu vou fazer isso lá para setembro, ai já levo todas as dúvidas. Perguntarei sobre isso (só não posso esquecer de avisar depois a resposta que tive HAHA)


#6

Então, há muitas questões na língua portuguesa que geram discordância assim mesmo. Acho que, independentemente de proibido ou não, há expressões que soam melhor fonética e semanticamente, e cabe a você escolher o uso ou não.

Às vezes nem resulta em empobrecimento não, como exemplificou a Camila, mas ao longo da sua prática você vai acabar conhecendo novas palavras, por isso a importância de estar lendo sempre. Pode ocorrer também que você acabe nem precisando ficar voltando tanto em um termo já citado.


#7

ahh, sobre a parte do demasiada: nesse caso nada em exagero eu acho que é bom no texto. Quando eu disse que uso é mais ou menos umas duas vezes na mesma redação :blush:


#8

Muito obrigado novamente @Camila e @Joao_Vitor_Ponciano_Gama!


#9

imagina, Pedro, nem sei se ajudei muito haha
eu acabo falando mais o que eu fiz e deu certo ou o que não deu, porque eu sempre gosto de saber o que meus colegas fazem e dão certo e etc, eu acho que ajuda a ter uma visão mais realista das provas. Porém, eu gosto de reforçar que não sou professora haha. Enfim, qualquer coisa é só mandar aqui, Pedrão!


#10

Por nada, Pedro! Sempre que precisar estamos aí para ajudar!