Português UFRGS 2012


#1

(UFRGS 2012)
Por volta de 1928, Henry Ford debatia-se com
uma ideia fixa: queria encontrar uma fórmula
salvadora para o problema do suprimento da
borracha para sua indústria. Estava cansado de
aturar os preços que os ingleses de Ceilão lhe
impunham. Como? Plantando borracha na
Amazônia. Não havia o súdito inglês Henry
Wickham transportado às escondidas para a
Inglaterra as mudas da seringueira da Amazônia?
Tudo estava em organizar seringais homogêneos
em terras apropriadas. Por conseguinte, rumo ao
Brasil, rumo à Amazônia.
O Brasil exultou. E logo o governo brasileiro
recebe os emissários de Ford como costuma
receber os americanos em geral: de braços
abertos. Começa o trabalho. A mata resiste, mas
… . Ao passo que os tratores vão fazendo a
derrubada para a clareira, já as casas começam a
surgir, o hospital, os postos de higiene, as
quadras de tênis, as mansões dos diretores.
Dentro da floresta amazônica, o ianque fizera
surgir uma nova cidade. E tudo … como
convinha. Três mil caboclos trabalhavam; um
milhão de pés de seringueira eram plantados. A
floresta arquejava, mas cedia. E quando,
decorridos apenas dois anos, as seringueiras
começam a despontar em pelotões, em
batalhões, em regimentos, ninguém mais tem
dúvida sobre o desfecho da luta.
Entretanto, Ford ia recebendo e lendo
relatórios. E estes contavam histórias diferentes
das que figuravam nos frontispícios dos jornais:
definhavam as seringueiras pelo excesso de sol
e pela falta de umidade e de humo. Estavam
murchando ao sol da região. À falta de proteção
das sombras da floresta tropical, o exército de
seringueiras de Mr. Ford … ao sol. Triunfava
o desordenado da selva contra a disciplina do
seringal.
Devemos concluir daí que na Amazônia seja
de todo impossível estabelecer florestas
homogêneas ou que o grande vale seja de todo
impróprio para o florescimento de uma grande
civilização? Ainda não. Por enquanto, a conclusão
a tirar é outra. Na verdade, o que se fez nas
margens do Tapajós foi transplantar para o
trópico a técnica, os métodos e os processos de
resultados comprovados apenas em climas
temperados ou frios – a ciência e a técnica do
cultivo da terra próprias para os trópicos estão
ainda em fase empírica e elementar.

Assinale a proposta de mudança no emprego
de vírgula em segmento do texto que
manteria a correção e o sentido da frase
original.

(A) Colocação de vírgula imediatamente após
preços (l. 05).
(B) Colocação de vírgulas imediatamente
após inglês (l. 07) e Wickham (l. 08).
© Colocação de vírgula logo após Ford (l. 14).
(D) Omissão da vírgula da linha 18.
(E) Colocação de vírgulas antes e depois de
na Amazônia (l. 40).

Entendi o porquê de o gabarito ser E mas queria saber por que não pode ser a B


#2

Oi, Milena! Tudo certo?

Existem algumas regras que determinam a utilização de vírgulas isolando nomes próprios.

Nesse link você consegue encontrar uma explicação mais detalhada.

Acredito que isso te ajude a entender a questão :grin: